Arte e Cultura

7 livros egípcios para ler na quarentena

A pandemia do Coronavírus tem nos frustrado em diversos aspectos, ficar em casa para alguns pode ser um tormento, mas para outros é sinônimo de ter/ganhar tempo.

O medo de perder quem nós amamos, tem sido tão consumido que o pensamento de bloquear as notícias constantemente divulgadas soa mais como uma proposta sonhadora do que qualquer outra coisa. Mas, como aprendemos com as histórias de homens e mulheres corajosos, reais e ficcionais, nunca devemos nos render ao desespero, mesmo nos momentos mais sombrios da turbulência.

Para fugir um pouco das notícias que pairam 24 horas, que tal debruçar sobre 7 livros egípcios para ler na quarentena? Livros que vão te inspirar durante esta crise coletiva. São histórias de pessoas comuns que, como nós, sofrem mudanças em circunstâncias extraordinárias.

The Harafish
Naguib Mahfouz

Este conto atemporal segue a história de uma família egípcia e sua queda dramática ao longo de gerações. Os Nagis devem seu nome de família a um de seus ancestrais, Ahsur El Nagi (Ashur, o Sobrevivente), que ganhou o apelido por sobreviver à Peste Negra. Nagi se torna uma figura amada entre os plebeus do Cairo (os harafish).

The Harafish narra um aspecto importante e muitas vezes esquecido da história urbana do Cairo e fornece informações sobre a extraordinária resiliência desta cidade, sua influência corrupta e a coragem e astúcia de Cairenes através dos tempos.

É uma história sobre fragilidade, derrota, desespero e, finalmente, triunfo, no irresistível estilo narrativo de Naguib Mahfouz.

God Dies by the Nile
Nawal El Saadawi

Nesta obra-prima literária da escritora feminista Nawal El Saadawi tenta reconciliar fé e feminismo através da história de Zakeya, uma mulher que vive em uma vila rural e que é possuída por demônios devido à sua raiva contra a misoginia e sexismo.

Ambientado na aldeia de Kafr El Teen, God Dies by the Nile explora temas de corrupção política e abuso de poder e as injustiças impostas às mulheres nas sociedades governadas por líderes tiranos.

Enquanto Kafr El Teen luta sob o domínio de um prefeito poderoso e corrupto e o chefe da mesquita da vila que escraviza e abusa de mulheres, toda a esperança de se libertar parece ilusória e Zakeya se resigna ao seu destino. Somente quando suas sobrinhas são submetidas a essas mesmas injustiças é que Zakeya começa a questionar o próprio fundamento da fé e de seus ensinamentos no que diz respeito às mulheres.

É um trabalho importante da literatura feminista que examina as muitas construções sociais e políticas que cercam o poder e como elas se cruzam com a desigualdade de gênero.

Azazeel
Youssef Ziedan

Um dos romances egípcios mais controversos do século XXI, devido ao seu tema: fé e a ascensão da religião. Através desta ficção histórica, Youssef Ziedan explora temas da fragilidade humana, luxúria, tentação e dúvida, seguindo a história de um monge do século V chamado Hypa.

Ao longo do livro, Hypa lida com suas realidades, escolhas, desejos e seu próprio entendimento de moralidade, divindade e Azazeel (o diabo). Azazeel oferece um vislumbre dos horrores dos conflitos sectários e da violência religiosa, tornando-o uma leitura essencial que oferece respostas para as grandes questões espirituais de nossa época e insights sobre nossa busca coletiva por significado.

Sex and the Citadel
Shereen El Feki

Nesta leitura, a escritora britânica-egípcia Shereen El Feki examina as mudanças nas normas sociais e políticas no Oriente Médio e Norte da África após a Primavera Árabe e como elas refletem nas atitudes sexuais de homens e mulheres na região.

O livro também explora a história sexual da região e a evolução da sexualidade árabe e muçulmana, de seu estado anteriormente desinibido ao conservadorismo social moderno. Ele também tenta entender a revolução sexual que está se formando na região do Oriente Médio e avalia se isso pode causar mudanças sociais reais.

O livro apresenta os resultados de uma pesquisa de cinco anos feita por Feki e fornece suas idéias através de uma coleção de histórias íntimas, juntamente com análises sociais e políticas. É uma leitura bem-humorada e inteligente.

Utopia
Ahmed Khaled Tawfik

Lançada pela primeira vez em 2008, Utopia combina elementos de ficção científica, distopia e futurismo, retratando o Egito em 2023 enquanto uma parcela da população vive na pobreza, e poucos privilegiados continuam a deter a maior parte da riqueza do país.

Tawfik apresenta um retrato da sociedade egípcia que é irreconhecível, mas de alguma maneira facilmente imaginável, justapondo riqueza obscena e miséria abjeta e empregando seus recursos literários para expandir as realidades da segregação de classes e da desigualdade econômica no Egito.

O autor faz uma alusão magistral e inteligente às estruturas de poder do Egito e às questões de classe que definiram o pensamento político moderno do país no auge das políticas de privatização do regime de Mubarak, brutalidade policial e violência politicamente motivada.

A utopia é um das obras contemporâneas mais importantes e ocupa um lugar especial na consciência milenar egípcia porque foi publicado dois anos antes da revolta de janeiro de 2011.

The Open Door
Latifa Al Zayyat

Uma obra de referência da literatura feminista, The Open Door é uma leitura essencial para quem procura obter uma compreensão mais profunda da dinâmica de gênero no Egito e suas raízes intersetoriais que antecedem a teoria feminista intersetorial no Ocidente.

A obra literária segue a história de Layla, que se rebela contra as normas de gênero e códigos sociais que governavam a vida das mulheres no Cairo da década de 1940, em um período de revolta política contra o domínio colonial britânico. The Open Door traça paralelos entre a luta política pela independência e a luta das mulheres contra o colonialismo e a desigualdade de gênero.

É um clássico contemporâneo contado através da história de Layla e oferece uma visão do importante papel que as mulheres egípcias e seu incansável ativismo tiveram no movimento de libertação.

Granada
Radwa Ashour

Granada foi eleita uma das 105 melhores novelas árabes do século XX pela União dos Escritores Árabes. Esta ficção histórica é uma trilogia, e essa é a primeira e única disponível em inglês devido à sua enorme popularidade.

Granada narra os eventos que ocorreram na Espanha após a queda do domínio mouro e a vitória dos monarcas católicos, incluindo a Inquisição Espanhola de uma perspectiva muçulmana e a história de Abu Jaafar, um encadernador muçulmano, e sua família.

O romance explora temas como pertencimento, perda e perseguição religiosa e é considerado uma das obras literárias mais eminentes que já saíram do Egito, pois oferece uma perspectiva única das relações entre muçulmanos e cristãos e a dinâmica de poder entre os dois grupos.

Fonte: Egyptian Streets


Deixe seu comentário e siga o blog Vida no Egito.

Gostou dessas dicas e quer saber mais? Siga nossas redes sociais: Instagram, Facebook e Youtube. E fique por dentro de tudo o que acontece aqui na terra dos faraós!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.