Notícias

O Abuso de Animais no Turismo Egípcio

————————- ESSE POST CONTÉM IMAGENS FORTES ————————-

Uma viagem às pirâmides de Gizé é o sonho de muitos, mas, pode embrulhar o estômago rapidamente.

Dentro do complexo das pirâmides, cavalos emaciados ofegam e se esforçam enquanto puxam carrinhos carregados de turistas por uma encosta íngreme. Os motoristas os chicoteiam para fazê-los ir mais rápido.

Alguns cavalos escorregam e tropeçam na superfície lisa do asfalto. Outros tem feridas abertas. Apesar do calor do verão, não há abastecimento de água.

Durante anos, a sensação de admiração experimentada pelos visitantes nos grandes locais do Egito, como as pirâmides de Gizé ou o Vale dos Reis, em Luxor, foi estragada por cenas de crueldade com os animais que trabalham lá.

Em posts ultrajados no Facebook ou em e-mails para grupos egípcios de direitos dos animais, eles descreveram cavalos em colapso, camelos doentes e mulas emaciadas. Um movimentado mercado de camelos nos arredores do Cairo, onde os turistas pagam uma taxa para tirar fotos, apresenta camelos espancados e animais com rostos ensanguentados.

Os hospitais veterinários do Cairo fornem tratamento para um fluxo constante de animais doentes, mal alimentados ou maltratados.

Agora, o PETA, está pedindo aos turistas que boicotem todos o trabalho animal nos principais locais turísticos do Egito.

“Esse abuso não tem lugar no turismo moderno”, disse Ashley Fruno, diretora de programas de assistência animal da PETA.

Mas o que constitui turismo ético em um país empobrecido como o Egito é assunto de debate, mesmo entre grupos de direitos dos animais. Passeios de animais proporcionam um meio de subsistência para milhares de famílias egípcias, e alguns grupos argumentam que é melhor reformar seus modos abusivos do que evitá-los completamente.

E muitos proprietários insistem em tratar bem seus animais – alguns beijam seus camelos nos lábios para agradar os turistas – e dizem que não devem ser penalizados pelos delitos de outros.

Ahmed Kamel, um jovem magro que fala várias línguas, oferece passeios de buggy pelas pirâmides por cerca de US$9. Em uma movimentada tarde de sexta-feira, ele deu um tapinha no cavalo com carinho, enquanto a música pop egípcia conhecida como electro shaabi tocava no alto-falante.

Certamente, ele reconheceu, alguns proprietários eram agressores: “Eles trabalham de manhã e depois bebem à tarde. Eles não ligam para nada.” Mas ele acrescentou: “Eu tenho que cuidar da minha família. Se você nos expulsar, o que faremos?

Seu cavalo, disse ele, recebeu o nome de sua filha. “Eu a amo”, acrescentou, sem especificar se estava se referindo à menina ou ao animal.

Mas hoje em dia, o bem-estar animal não é um grande problema no Egito. O Zoológico de Gizé é degradado e deprimente. Cães selvagens vagam pelas ruas à noite. Clérigos islâmicos se opuseram à eutanásia de cães de rua, dizendo que isso contraria a vontade de Deus.

No mercado de camelos de Birqash, nos arredores do Cairo, a crueldade está em exibição.

Os camelos marcham em torno de três pernas, com a quarta amarrada para impedir que fuja. Pastores com mantos esvoaçantes, empunhando paus de bambu, os debulham para mantê-los alinhados. Camelos com rostos manchados de sangue são uma visão comum.

Sei que visitar o Egito e tirar uma foto montado num camelo em frente as Pirâmides é o sonho de muitos, mas, qual o peso de uma foto em sua consciência?

Deixe seu comentário e siga o blog Vida no Egito.

Gostou dessas dicas e quer saber mais? Siga nossas redes sociais: Instagram, Facebook e Youtube. E fique por dentro de tudo o que acontece aqui na terra dos faraós!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.