Notícias

Homem egípcio que matou a irmã por “comportamento suspeito”, condenado a cinco anos de prisão

O Tribunal Criminal do Cairo sentenciou um homem egípcio que matou sua irmã no início deste ano, após suspeitar de “comportamento suspeito” a cinco anos em uma prisão de segurança máxima.

De acordo com a mídia estatal Al-Ahram, Karim A. foi considerado culpado do assassinato pré-mediado de sua irmã Suad.

O processo judicial revelou que o assassino levou Suad, seus filhos e sua mãe para a casa de sua família em Dar El-Salam, Cairo. Enquanto conversava com Suad, e na presença dos filhos de Suad, o assassino puxou um canivete e a esfaqueou no pescoço.

Suad tentou escapar, mas foi empurrada para um banheiro por seu irmão, que então fechou a porta pelo lado de fora e a deixou para morrer.

O processo judicial revelou que o assassino acreditava que sua irmã havia praticado atos “inapropriados” e “suspeitos”.

Até a data de publicação deste artigo, não está claro por que o Tribunal Criminal do Cairo condenou o assassino a cinco anos de prisão. Nas redes sociais, vários egípcios expressaram sua consternação com a sentença de prisão, que consideram branda, dada a natureza do crime.

A sentença do Tribunal Criminal do Cairo ocorre em um momento em que o Egito testemunhou uma série de casos de abuso contra mulheres e meninas. No início desta semana, o Ministério Público egípcio anunciou que três homens foram encaminhados a julgamento criminal por várias acusações relacionadas à morte de uma mulher que caiu da varanda de seu apartamento. Em nota, o Ministério Público informou que os três homens invadiram o apartamento da senhora de 34 anos enquanto ela recebia um visitante. Os homens então torturaram o homem e aterrorizaram a mulher, resultando em ela pular de sua varanda de medo.

CRIME DE HONRA: A LEI

No Egito, a única forma de ‘crime de honra’ que pode resultar em punição menor é estabelecida no Artigo 237 do Código Penal do Egito, que permite que um tribunal exerça clemência para com os homens que matam suas esposas ao descobri-las em um ato de adultério.

De acordo com este artigo, o marido que mata a esposa imediatamente após flagrá-la cometendo adultério pode, em vez disso, ser acusado de contravenção. Por outro lado, as mulheres não têm o mesmo direito nos termos do Artigo 237. O direito também não é concedido a outros membros masculinos de uma mulher, como o pai ou irmão de uma mulher.

Traduzido de: Egyptian Streets


Deixe seu comentário e siga o blog Vida no Egito.

Gostou dessas dicas e quer saber mais? Siga nossas redes sociais: Instagram, Facebook e Youtube. E fique por dentro de tudo o que acontece aqui na terra dos faraós!

Categorias:Notícias

Marcado como:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.