Arte e Cultura

DJs Adriatique no Templo Mortuário de Hatshepsut

Com vários eventos nos sítios arqueológicos e históricos do Egito, não é estranho que o país receba críticas por isso. O burburinho mais recente prova ser nada menos que um show da famosa dupla de DJs Adriatique que ocorreu no último dia 13 de Fevereiro.

O concerto, que contou com 3.000 participantes, foi realizado em Deir el Bahari, no meio do pátio do famoso templo mortuário da rainha Hatshepsut – um local turístico incrivelmente famoso que recebe centenas de turistas todos os dias.

Quem é a Hatshepsut?

Hatshepsut é uma das governantes mais célebres do antigo Egito, se não do mundo em massa. Com uma marca incontestável na história, a governante feminina foi particularmente celebrada por governar como ‘faraó’ com trajes e regalias de reis.

Durante seu governo de aproximadamente 20 anos, o território egípcio se expandiu para o sul e leste, e ela era particularmente conhecida por enviar suas tropas para terras distantes para reivindicar glórias em expedições, erguendo estruturas monumentais em todo o vasto território egípcio. Sua reputação e legado sobreviveram a todas as tentativas de apagá-la, mesmo quase 3.500 anos depois.

Usuários Dividem Opiniões Sobre o Evento

Com a performance dos DJs Adriatique, a mídia social se transformou em um turbilhão de reações mistas. Por um lado, o evento, que foi transmitido ao vivo na página do Cercle no Facebook, foi muito celebrado por sua vibração, organização cuidadosa e entretenimento. Os usuários do Twitter expressaram seu choque com o fato de os aclamados músicos estarem realizando a festa em um local tão extraordinário.

Considerando que o evento foi organizado por um consórcio de partes interessadas, incluindo o Ministério do Turismo e Antiguidades (MoTA), bem como a Autoridade Egípcia de Turismo para a promoção do turismo, não é surpresa que o concerto tenha sido muito celebrado pelas autoridades oficiais.

“Contribui para aumentar o turismo no Egito, contribuindo para um boom turístico nos sítios arqueológicos da cidade onde se realiza o evento”, Mostafa Waziri, Secretário Geral do Conselho Supremo de Antiguidades.

Outras autoridades, como Amr El-Kady, diretor executivo da Autoridade de Turismo do Egito, e Iman Abdel Rahman, diretor-geral do Departamento Geral de Conscientização do Turismo da mesma instituição, também destacaram que os eventos constituem “promoção” para o Egito. A transmissão digital do evento nas redes sociais do Cercle, que conta com mais de 1,3 milhões de seguidores em todo o mundo, foi também apontada como uma ferramenta com potencial para dinamizar os vários destinos e atrações do país.

Outros usuários, no entanto, criticaram o evento e os organizadores pela escolha do local, citando Deir El Bahari como um valioso marco histórico que pode sofrer danos dos foliões, bem como da engenharia de som e do equipamento de iluminação. Já outros se colocaram contra o evento, citando que é um desrespeito realizar uma Rave em um templo mortuário.

Não é a primeira vez que eventos, festas e shows acontecem em sítios arqueológicos ou históricos. Recentemente, o desfile masculino da Dior 2022 também foi realizado no Planalto de Gizé, gerando polêmica também nas redes sociais pelo uso perpétuo de marcos históricos como pano de fundo para eventos comerciais e de entretenimento.

Categorias:Arte e Cultura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.